sexta-feira, 13 de maio de 2011

Garatuja, uma girândola de escárnio e fantasia.

Esse era o nome de uma ótima revista em quadrinhos publicada em São Paulo entre 1977 e 1983. Foram um ou dois números experimentais que precederam os quatro oficiais, além de dois pôsteres. O nome da revista me chamou atenção logo de cara e, tempos depois, batizei uma gata que apareceu no atelier com esse nome. A gata não saia de cima dos meus trabalhos e em 1983, quando assumi o Clubinho de Artes e Arteiros de Atibaia, rebatizei o espaço com o nome de Oficinas Garatuja... que hoje é o Instituto de Arte e Cultura Garatuja. Mas voltando a revista: No período em que foi lançada não era comum publicações nacionais de quadrinhos "adultos" com essa qualidade. A revista trazia histórias do editor Luis Fellipe Dias Ferreira, Antônio Carlos Peres, Sérgio Gonzalez e outros, alternadas com fotonovelas, entrevistas e ensaios. Os dois primeiros números tinham formato grande, que foram reduzidos a partir do terceiro e com a novidade da capa colorida na número quatro, embora o miolo, como sempre, continuasse em preto e branco. A Garatuja cinco anunciava uma entrevista inédita com Hergé, o criador de Tintim, mas infelizmente nunca saiu. Hoje essas revistas são raridades e podem ser consultada pelos freqüentadores do Instituto Garatuja.

Nenhum comentário:

Postar um comentário